NIna 2014
Menina da Fonte 2015
Katharina 2014
Julieta
Menina Beta 2014
Rosa 2014
Lakshmi 2013
Masai 2013
Menina Gueixa 2013
Abelha Rainha 2012

                                                                                                                                                     

 Menina dos Olhos   serie                                                                                                                                                         2012/2013

 

 

 

Looking at the representative universe of doll girls, Marina searches in this series for references in traditional Japanese dolls, called ningyo (which means “human form”). In Japan, dolls have a cultural importance that goes beyond the role of toys, and for ages they were used in religious ceremonies, purification rituals or as amulets. The art of making dolls has evolved over the years, and today you can find very sophisticated dolls, with embroidered silk kimonos, very well-developed hair and other adornments, and even automata. They are part of the Japanese tradition as the Hinamatsuri, which celebrates Doll's Day (also known as Girls' Day), and also one of the most important expressions of theater in the world, the traditional Bunraku theater, the Japanese puppet theater, where the puppets they feature very refined costumes, props and makeup

The paintings are also related to characters - each with their own personal history - within a feminine and fantastic universe of dreams and signs, in a work that is characterized by the affective memories, imagination and transformation contained in each canvas. They are female characters, symbolic and mythical, references to places in an oneiric universe. And, also inspired by old portraits, his paintings try to capture an instant, a time, as in photography. “I've always had a special taste for old photographs. I always imagined that that face, that moment still existed somewhere. Imagination for what happened in the moments before and after the photos. The image that immortalizes itself. As in the tombs, in any time and culture, the image always exists as a way to immortalize. It's as if the time of existence of matter was not enough.”

 

Another striking feature is the study of the look and the importance of the eyes, making a body look alive. The article What Makes a Face Look Alive? Study Says It’s in the Eyes (What makes a face look alive?) by Science Dayli, points out that its the eyes.

The etymology of the word pupilla, which comes from the Latin pupilla and can mean girl, doll, student, protected. The name pupil was given to the central part of the eye, which regulates the passage of light, as it is possible to see reflected in it the image of the other in miniature, like a doll, with the popular name Menina dos Olhos. Thus, Marina Reis baptized this series.

 

 

 

série   Menina dos Olhos                                                                                                                                                                                2012/2013

 

Com olhar voltado para o universo representativo das meninas bonecas, Marina busca  nesta série, referências nas bonecas tradicionais japonesas, chamadas ningyo (que significa “forma humana”). No Japão, as bonecas tem uma importância cultural que extrapola a função do brinquedo, e durante eras foram utilizadas em cerimônias religiosas, rituais de purificação ou como amuletos. A arte da fabricação de bonecas evoluiu com os anos, e hoje podem ser encontradas bonecas muito sofisticadas, com quimonos de seda bordada, cabelos e outros adereços muito bem desenvolvidos, e até automatas. Fazem parte da tradição japonesa como o Hinamatsuri, que celebra o Dia das Bonecas (também conhecido como Dia das Meninas), e também uma das expressões mais importantes do teatro no mundo, o tradicional teatro Bunraku, o teatro de bonecos japonês, onde os bonecos apresentam figurino, adereços e maquiagem muito apurados

 

As pinturas também estão relacionadas a personagens - cada um com sua história pessoal - dentro de um universo feminino e fantástico de sonhos e signos, num trabalho que se caracteriza pelas memórias afetivas, imaginação e transformação contidas em cada tela. São personagens femininas, simbólicas e míticas, referências de lugares em um universo onírico. E, também inspiradas em retratos antigos, suas pinturas tentam capturar um instante, um tempo, como na fotografia. “Sempre tive uma gosto especial pelas fotografias antigas. Sempre imaginava que aquele rosto, aquele instante ainda existia em algum lugar. Imaginação para o que acontecia nos momentos anteriores e posteriores das fotos. A imagem que se imortaliza. Como nos túmulos, em qualquer época e cultura, sempre existe a imagem como uma forma de imortalizar. É como se o tempo de existência da matéria não fosse o suficiente.”

 

Outra característica marcante é o estudo do olhar e a importância dos olhos, fazem um corpo parecer vivo. O artigo What Makes a Face Look Alive? Study Says It’s in the Eyes (O que faz um rosto parecer vivo?) da Science Dayli, aponta que são os olhos.

 

A etimologia da palavra pupila, que vem do latim pupilla e pode significar menina, boneca, aluna, protegida. Deu-se o nome pupila à parte central do olho, que regula a passagem de luz, pois nela pode-se ver refletida a imagem do outro em miniatura, como uma boneca, tendo como nome popular Menina dos Olhos. Assim, Marina Reis batiza esta série.

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter